Escolha uma Página

Neste espaço, já apresentamos duas estruturas para aplicação na concepção de produtos utilizando Ágil Escalado: o Nexus™ e o Large Scale Scrum (LeSS). Agora chegou a hora de falarmos um pouco sobre o SAFe®, o último dos três frameworks escaláveis do universo ágil que trataremos nesta série de blogposts. 

O SAFe®, sigla para Scaled Agile Framework, é uma estrutura ágil que vem sendo fortemente adotada dentro das organizações que aderiram esses conceitos. Esse framework é baseado nos princípios Lean e Agile e atende as necessidades de todos os stakeholders dentro de uma empresa. 

Na Foursys, o SAFe® é o framework mais aplicado no dia a dia das equipes ágeis, uma vez que seus principais clientes utilizam essa estrutura no desenvolvimento de seus produtos. Para apoiar ainda mais nossos parceiros, nosso time de gestores e especialistas possuem, inclusive, certificação neste framework. 

Se você quer saber um pouco mais sobre o SAFe®, este blogpost foi escrito para você! Vamos lá?

 

Os valores do SAF

Na última versão do SAFe® (5.0) o foco principal é o cliente, buscando sempre a criação de experiências positivas para ele. Com base nessa premissa, o conceito de Design Thinking entra em cena neste framework, enfatizando a compreensão do problema em questão, o contexto em que a solução será utilizada e a evolução da mesma. 

Os valores do SAFe® são divididos em 4 temas, sendo eles Alignment (Alinhamento)Built-in Quality (Qualidade Embutida)Transparency (Transparência) e Program Execution (Execução do Programa). Abaixo explicamos detalhadamente cada um deles: 

  • Alignment: os objetivos de negócio da empresa são a base para este framework. Isso quer dizer que todas as equipes ágeis envolvidas devem trabalhar em uma direção comum. O SAFe® permite o empoderamento, autonomia e tomada de decisão descentralizada, o que permite melhores tomadas de decisões por parte de quem está implementando o produto; 
  • Built-in Quality: por aqui garante-se que cada elemento e cada incremento da solução reflita todos os padrões de qualidade em todo o ciclo de vida do desenvolvimento do produto; 
  • Transparency: fundamental para o lastro da confiança entre todos os envolvidos, uma vez que, sem transparência e confiança não existe a possibilidade de se construir uma equipe de alto desempenho. 
  • Program Execution: o negócio será sempre o foco do desenvolvimento. No SAFe®, nada mais importa senão realizar entregas de valor de maneira contínua.

 

Representação do SAFe® 5.0 (Crédito da imagem: scaledagileframework.com)

 

Os papéis e os eventos 

No SAFe®, os papéis são um pouco diferentes quando comparados aos demais frameworks escaláveis do universo ágil. Neste, especificamente, temos o grupo de Business Owners, que são stakeholders responsáveis pela governança, conformidade e controle do ROI (sigla para Retorno sobre o Investimento) para o Agile Release Train (ART). 

Já o System Architect/Engineering é o responsável pela definição da visão técnica e arquitetônica para o ART, garantindo que o desenvolvimento da solução seja aderente ao que foi planejado. Por sua vez, o System Team garante o auxílio na implementação e o suporte às equipes durante o desenvolvimento do produto. 

Product Manager, como o nome sugere, é o responsável por definir e apoiar o desenvolvimento dos produtos desejáveis e sustentáveis que atendam às necessidades dos clientes ao longo do ciclo de vida do produto no mercado. 

Por fim, temos a figura do Release Train Engineer, líder e coach do ART. Ele é o responsável por facilitar os eventos e o processo do ART e auxiliar as equipes durante o desenvolvimento do produto. O Release Train Engineer está em constante alinhamento com os stakeholders, escala os problemas, gerencia riscos e busca melhorias de forma constante. 

Quanto aos eventos do SAFe®, podemos elenca-los da seguinte maneira: 

  • Program Increment: neste evento o ART realiza uma entrega de valor incremental na forma de um software testado e funcional. Os PIs podem durar de 8 a 12 semanas; 
  • Innovation and Planning Interation: reunião que ocorre durante cada PI, funcionando como um medidor de estimativa do cumprimento dos seus objetivos; 
  • System Demo: evento que fornece aos stakeholders e ao ART a evolução dos trabalhos durante a PI; 
  • Inspect and Adapt: reunião realizada ao final de cada PI para demonstrar ao ART o status do desenvolvimento da solução proposta; 
  • PI Planning: agenda para apresentação do contexto e da visão de negócios. Nela as equipes envolvidas criam os seus planos de interação para a próxima PI. Sua duração é de 2 dias.

 

Avaliação final do SAFe® 

Apesar de ser um framework muito amplo e mais complexo que os demais, o SAFe® conta com um carimbo de aceitação muito forte dentro das empresas. Mas sua aplicação depende muito do apoio de um sponsor e uma organização estruturada de cima para baixo para prosperar. 

No SAFe® as equipes possuem total liberdade para se autorregularem, uma vez que todas as definições podem ser feitas pelas mesmas dentro das PIs. Isso também garante um alinhamento dinâmico e constante entre todos os envolvidos. 

Todo esse dinamismo, aliado ao número de envolvidos no processo, torna o SAFe® um framework ideal para entregas rápidas e obtenção de Time-to-Market dentro do universo ágil. Mais importante do que isso, porém, é a possibilidade de adaptação de forma mais rápida às mudanças de estratégias da corporação. 

Caso você queira se aprofundar em mais este framework do universo ágil, muitas informações relevantes estão disponíveis em seu site oficial. Não deixe também de conferir nosso conteúdo sobre o Nexus™ e LeSS, outras duas estruturas semelhantes ao SAFe® para aplicação em desafios escaláveis.

 

Leia mais

LeSS: aplicando mais um framework ágil escalado em produtos digitais

Frameworks ágeis: conheça o Nexus™ e seus conceitos para aplicação em desafios escaláveis

O poder do Angular e seus benefícios para o desenvolvimento web